23 de junho de 2009

Pico do Areeiro coberto de cor

20090623-rq-01

Quando em Outubro de 2001 a Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal iniciou o processo de recuperação do ecossistema do Pico do Areeiro, poucos foram os que acreditaram no sucesso dessa utopia.

Para cima dos 1700 metros de altitude, o deserto provocado por mais de cinco séculos de cortes de lenhas, incêndios e pastoreio intensivo, afigurava-se como algo de irreversível.

Graças à crença nas leis da ecologia e à persistência de um grupo de cidadãos, a biodiversidade está em franca recuperação naquele píncaro da Ilha da Madeira.

20031213-rq-01
20031213-rq-02
As imagens são muito mais eloquentes que quaisquer palavras. A comparação das 2 fotografias imediatamente acima, datadas de 13 de Dezembro de 2003, com as que se seguem e a que abre este artigo, feitas hoje (23 de Junho de 2009), permite encarar o futuro com muita esperança.

Neste mês de Junho as flores, azuis e lilases dos massarocos (Echium candicans), brancas das estreleiras (Argyranthemum pinnatifidum) e amarelas das andríalas (Andryala varia) são bom motivo para uma visita ao Pico do Areeiro.

20090623-rq-03
20090623-rq-04

Como podem verificar por estas fotos o Pico do Areeiro e o Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha (propriedade da Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal) estão lindos graças à floração de plantas endémicas da Madeira plantadas pelos voluntários da Associação.

20090623-rq-02
20090623-rq-05

Só com o nosso trabalho persistente foi possível criar um oásis num deserto de montanha.

20090623-rq-07
20090623-rq-06

Mas como queremos que o oásis cresça muito mais, já no próximo sábado teremos mais uma jornada de trabalho ...

1 Comentário(s):

Anonymous Anónimo escreveu...

Fantástico Trabalho!!! Continuem assim, muita Força!

28 junho, 2009 19:09  

Enviar um comentário

<< Home