28 de janeiro de 2012

A chuva, o frio e as plantas felizes

20120128-rq-01

Hoje no Pico do Areeiro a temperatura oscilou entre os 3º C e os 5ºC, a chuva miudinha foi uma constante e o vento de NE correu a cerca de 30 Km/h.

Foi com este tempo que 52 voluntários, jovens e menos jovens, da Associação dos Amigos do Parque Ecológico e do Grupo dos Amigos da Natureza, plantaram mais de 600 plantas, de 9 espécies indígenas da Madeira.

O trabalho de plantação só foi possível com bons agasalhos, comidinha quente e infusão de hortelã-de-cabra. Mesmo assim, os menos resistentes tiveram de refugiar-se junto à lareira. Para os plantadores o tempo esteve mau.Para as plantas o tempo estava óptimo. Tinham saudades de frio e muita necessidade de água.

Quando voltámos à cidade estavam felizes. O conceito de bom tempo é muito relativo!

Se o tempo estiver bom para as plantas e não muito agreste para os humanos, no sábado, 11 de Fevereiro, a Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal vai realizar mais uma jornada de reflorestação nas serras escalvadas do Pico do Areeiro. Temos muitas plantas no viveiro ansiosas por ir para a montanha.

Necessitamos de voluntários para as colocar cuidadosamente no seu habitat.

20120128-rq-02
20120128-rq-03
20120128-rq-04
20120128-rq-05
20120128-rq-06
20120128-rq-07
20120128-rq-08
20120128-rq-09
20120128-rq-10
20120128-vs-5829
20120128-vs-5830
20120128-vs-5835
20120128-vs-5837
20120128-vs-5845
20120128-vs-5848

Texto de Raimundo Quintal - Fotos de Raimundo Quintal e Virgílio Silva

17 de janeiro de 2012

Renascer das Cinzas
Plantação no Campo de Educação Ambiental do Cabeço
da Lenha e no Pico do Areeiro (14 de Janeiro de 2012)

15.01.12-1

Quarenta voluntários da Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal plantaram no Sábado cerca de 800 plantas no Campo de Educação Ambiental do Cabeço da Lenha (entre os 1550 e os 1600 metros de altitude) e na zona mais alta do Parque Ecológico (entre os 1700 e os 1800 metros de altitude). As plantas pertencentes a 12 espécies indígenas foram produzidas nos viveiros da Associação e da Direcção Regional de Florestas.

Devido à secura do solo, para além da plantação ainda foi necessário regar.

Felizmente no dia seguinte a chuva regressou ao Pico do Areeiro, contribuindo para arrebitar as plantinhas a quem não tínhamos conseguido mitigar a sede.

A próxima actividade do projecto RENASCER DAS CINZAS, que tem por objectivo recuperar a biodiversidade na cordilheira central da ilha da Madeira após a enorme destruição provocada pelos incêndios de Agosto de 2010, está programada para o dia 28 de Janeiro.

15.01.12-2
15.01.12-3
15.01.12-4
15.01.12-5
15.01.12-6
15.01.12-7
15.01.12-8
15.01.12-9
15.01.12-10
20120114-vs-5037
20120114-vs-5049
20120114-vs-5060
20120114-vs-5115
20120114-vs-5074

Texto de Raimundo Quintal - Fotos de Raimundo Quintal e Virgílio Silva